Monday, April 26, 2010

a simple girl

E à medida que o tempo passa eu me surpreendo com a falta que faz não ter o que fazer. Foram-se os dias de olhar pela janela, e com eles a inspiração que muitos viram nascer e morrer em cada texto aqui. Muitas vezes acompanhado de lágrimas que vocês, longe, muito longe, nem podiam imaginar - e justamente por isso eu deixava as lágrimas cairem.

O problema é que se não estou metida em afazeres complexo, estou sem fazer nada em uma cabeça cheia de pensamentos complexos. Desnecessariamente complexos.

Tenho que agradecer tudo o que me ensinou a pensar. Mas também tenho que xingar. Não fosse esse tudo, eu seria um ser capaz de meditar. Não sou. E não me venham dizer que é questão de treino. Porque eu não sei e nunca saberei o significado de qualquer treino para ser menos.

Off I go. Depois de novo país, novo emprego, nova casa, novos gatos e novamente novo emprego, estou encarando outros novos que estão no horizonte. Talvez longe do meu alcance, mas não longe de vista, que é o que importa. Sabendo para onde navegar, tudo fica mais fácil.

E ao mesmo tempo em que tudo é novo, são partes de um ciclo que tema em voltar.

Estou feliz. Não pensem que não. Eu só queria que a felicidade fosse um pouco mais simples e menos suscetível a repentes de angústia.

Yes, I can. All I have to do is be a simple kinda girl.

3 comments:

Barbara said...

Ja ouviu CDs de relaxamento? Ou mesmo aquelas aulas de ioga que tem meditacao com falacao? Eu tambem nao consigo acalmar a mente sozinha, mas quando tem uma vozinha dizendo "visualize isso, pense naquilo, bla bla bla," fica BEM mais facil.

Anonymous said...

Adorei o nome do seu blog, um dos jogos de palavras mais criativos que já vi! Parabéns!

LuSinger said...

ainda bem que apesar de tudo você está feliz!
Mamita