Tuesday, August 31, 2010

de novo?

Fico me perguntando se seria a hora de começar um novo blog. Esse aqui já tem gente demais lendo. Gente que eu não queria que estivesse, na verdade. Acabo fazendo aquilo que sempre abominei nesta blogosfera - a autocensura. E cá estou, escolhendo palavras para não chocar, pensando no outro em vez de pensar em mim, como deveria.

Mas não sei. Começar outro blog? Mesmo? Acho que agora não. Não tenho tempo para isso e sei que se for fazer um blog novo, vou me empolgar, e não estou podendo me empolgar com nada além de trabalho hoje em dia. A frase triste da minha vida, mas é verdade. Aqueles meus leitores de priscas eras mal podem acreditar, eu sei. Mas não tenho culpa. por ora, abracei o terninho. Por ora, sou mais eu em meio a planilhas. Por ora, mas sabe-se por quanto tempo mais, uso termos como "alinhar", "ROI", "alavancar" e "target" com uma frequência bem superior ao boçal mediano. Oh well, que se há de fazer? Sei que vou voltar, porque nunca deixei de ser aquela outra que vocês conhecem. Mas por enquanto vou ter que ser menos.

Vocês me perdoam? Vocês ainda estão aí?

Sunday, August 01, 2010

take a left

Queria confessar para voces que ando um pouco perdida, angustiada. Nada novo, certo? Certo. Mas a verdade eh que ando assim e sinto que nao tenho muito com quem falar sobre isso. Porque nao eh algo - pela primeira vez na historia - que eu consiga por em palavras. Eu sei que tem um monte de gente out there for me, mas nao eh essa a questao. Eh pessoal, eh interna, eh problema de umbigo. Ou talvez uma dessas angustias passageiras que vira e mexe vem me visitar. Como se eu fosse o principal ponto turistico das angustias. A Paris das aflicoes.

De resto, tudo mudando muito. Muitas espinhas no meu rosto, muito trabalho nas minhas costas mas, impressionantemente, poucas vezes estive tao completa. Me sinto valorizada como mulher, com um homem maravilhoso do lado. Me sinto valorizada como profissional, ocupando um cargo estrategico na empresa em que trabalho e sentindo genuinamente que o estou fazendo bem. So, what's wrong? Nada estah errado. Estah tudo exatamente igual. Eu, reclamando de barriga cheia. Eu, pensando como seria se vivesse outra vida, se tivesse entrado em outra curva, se resolvesse agora dar uma guinada total. E isso nao vai acontecer porque por mais que as infinitas hipoteses me atraiam, eu estou feliz com a hipotese que prevaleceu. E se uma hora eu deixar de estar, voces sabem, partirei mais uma vez de mochila nas costas, aa espreita da proxima curva que, por mais que imperfeita, seja a certa.