Sunday, June 27, 2010

yet again

Ando meio na dúvida se estou com calor ou com frio. Com a persian a baixada, fica difícil entender se a janela está aberta ou fechada. Se me tirassem a visão, tirariam tudo de mim. para mim é difícil, muito difícil apenas sentir. Por isso é difícil ficar parada, nua, sem fazer nada, sem nada para ver. Por isso a maldita da TV ligada com bem mais frequência do que merece. Esses barulhos e flashes me ajudam a esconder outras coisas, acreditem, bem mais desagradáveis que a narração do Galvão.

Por exemplo, esse fim de semana. Deitei há pouco na cama para ver se cochilava mas imagens não saiam da minha cabeça. Imagens ruins, imagens angustiantes, imagens que eu não sei de onde vieram, mesmo estando acordada. Então levantei e fui ver TV, um seriado qualquer que por 44 minutos me tirou o foco. E depois o programa acabou, e a angústia voltou, talvez mais forte, porque não são 6 da tarde de um domingo, mas 7 da noite de um domingo. E o fim de semana in-tei-ro se foi e, caralho, eu não fiz nada. Comi, trabalhei, dormi. Saí de casa duas vezes, ambas por menos de 2 horas. Não está certo. Ainda se não me incomodasse, vá lá, mas me incomoda. Chega essa hora do domingo e não sei mais se sinto calor ou frio. Perdi um pouco das cores das coisas. Descobri que meu lugar preferido é mesmo o sofá com meus gatos no colo, mas isso também me entristece. Preciso sair, preciso me apaixonar. Não tenho feito esportes - cancelei a natação porque, saindo tarde do trabalho todo dia, eu já nem ia mais. Minha vida tem se resumido a trabalho e cama. Quando sobra um tempinho, televisão.

Argh. Preciso sair. E não é só para dar uma volta. Preciso sair e criar algo novo. Já entendi que funciono assim, que fico extremamente desconfortável em me acomodar. Não se passa um ano de minha vida sem que eu me surpreenda com como era minha vida um ano antes e como as coisas mudaram. Pois bem, pois bem, é hora de me reinventar. Não sei bem como e nem por quê, mas preciso de gás, e não é voltando nas mesmas fontes que mato minha sede. Preciso de algo novo. E barato, de preferência.

Oh well, estou eu reclamando e semana que vem, nesse horário, estarei voando para NY.

Vai ver é uma dessas angústias pré-viagem. Quando eu era criança, achava aeroporto a coisa mais legal do mundo e queria trabalhar em um. Aí, quando fui para Londres, vi quão triste pode ser um aeroporto. E nunca mais apaguei essa imagem da memória.

Vou-me, yet again.

Monday, June 21, 2010

Soh um paragrafo de Tati Bernardi e ja me inspiro a escrever qualquer coisa aqui. Domingo a noite, entao, perfeito para uma melancolia inspiradora. Onde foi que eu escondi a inspiracao que antes me levantava e me adormecia?

Faz tanto tempo que nao escrevo aqui. Ai resolvo escrever e eis que o compudaro resolve apagar tudo. Eh um sinal? Meu tempo de blogosfera ja deu?

Estou com raiva e me vou.

Preciso de mais tempo para ela - foi a frase que restou do que ia postar. E quem disse que me lembro sobre o que era?