Monday, August 30, 2004

feriado bancario

Eu pensei que teria muito mais tempo para escrever sobre as coisas que vivi e vivo aqui em Londres. Isso de maneira alguma eh uma reclamacao. Mas sinto falta de ter aquele par de horas livre para escrever sobre os acontecimentos e mundos e vidas com que cruzo. Escrever torna tudo mais real e interessante. Mas se nao for num par de horas, que seja num par de minutos. Deixar de escrever, jamais.

Ao que interessa: esse eh o final de uma segunda-feira molenga. Feriado bancario. Sol frio. Dia de conhecer a casa em que vou morar ate pelo menos janeiro. Fomos eu e Roberta. Amamos. Ja nos vimos ali. Impressionante como tem coisas que fazem as mulheres felizes. Duas pias num banheiro, por exemplo. Ficamos empolgadas com as duas pias no banheiro mesmo sabendo que a casa soh tem dois quartos para tres pessoas morarem. Foda-se. Vai ser uma festa estar com duas pessoas amadas. Frubinha, amiga do peito e de todo o resto; e Roberta, ou Bobby, como a chamo carinhosamente, que eh uma amizade recem-nascida mas ja muito forte. Duas fofas que estou feliz de carregar comigo na roda da sorte que me abateu nos ultimos tempos. Nao eh sempre, preciso aproveitar.

No mais, estou mais serena. Vez ou outra uma desequilibradinha baaaasica. Aquelas coisas de sempre. Horas depois passa. E pesadelos. Tenho tido muitos pesadelos. Acordo em prantos e fico pesada, mas depois do banho ja melhora e na hora do almoco ja esqueco. Sao apenas pesadelos.

O trabalho continua. Estou entrando na terceira semana e estou bem adaptada. Adoro meu chefe e adoro o lugar. Meus colegas tambem sao muito gente boa e ainda da para eu ver meus e-mails (e responder vez ou outra, escondido). Demoro 50 minutos para chegar la (pouco em termos londrinos) e passarei a demorar ainda menos quando mudar de casa.

Comprei meu celular, devolvi o do Owen. Estou pagando meu tio John toda semana. Comer fora ja nao me faz espremar os olhos na hora da conta. Marquei e desmarquei e remarquei programas. Arrumei e desarrumei e rearranjei flatmates. Fiz varias putas confusoes. Me meti em frias e em quentes. E continuo firme, esperando o sono bater para comecar cedo o dia amanha. Nao importa realmente se vai estar chuva ou sol. As coisas nao me abalam mais tao facilmente. Aprendi a gostar de leve. E a desodiar. E a ficar feliz mesmo triste, e a me sentir completa mesmo sentindo muita, muita saudade.

Tuesday, August 17, 2004

liquid London

Estou aqui na BMI esperando me darem mais trabalho. Internet fora do ar, mas como minhas maos nao param, cah estou no Word. Vou aproveitar para atualiza-los.

O fim de semana foi uma correria absurda. Sexta teve jantar na minha prima, Fiona. A casa eh uma graca, em Clapham (que, ao contrario do que alguns julgam, eh um otimo lugar para se morar, bairro jovem e perto do centro), no sul de Londres. Conheci uns amigos do casal e Emily (outra prima) e Justin (marido dela) tambem foram. Por sinal, dormi na casa deles. Eh uma das casas mais simpaticas e aconchegantes que jah fui por aqui. Toda tematica, toda cheia de surpresas. Mas antes de cair na cama e dormir como merecia, fui conhecer o bar do Justin e de emenda fomos a uma festa num puta apartamento em Chelsea. Adorei, apesar do esquema meio festa estranha; gente esquisita, que costuma me causar asco. Chegamos na casa da Emily la pelas 4h da matina. Fazia tempo que nao ia dormir tao tarde. E dormi como um anjo. De manha, o Justin cozinhou um eggy bread com syrup e fomos tomar café no jardim.

De lah segui para Kentish Town, ao encontro do Ernesto e da Roberta. Minha tentativa de organizar uma ida ao cinema no parque falhou completamente. Tudo bem. No final fomos a um pub chamado Gordon’s, em Embankment, com o Ricardo, e foi legal de qualquer jeito. Quando eu estava para lah de Bagda (de sono, queridos, nao se iludam porque ainda nao me rendi aos costumes etilicos dos ingleses), inventaram de ir a um night club em Covent Garden (acho) onde soh tocava musica espanhola, daquelas indancaveis, se eh que voces me entendem. Somem: sono, lugar cheio, musica espanhola. Qual o resultado? Eu indo embora depois de menos de uma hora.

Dormi na casa do Ernesto e no dia seguinte tinha mais um café primoroso, feito pela querida Roberta. Ateh ovo (ugh!) eu comi sem reclamar. Soh reclamei mesmo do frances folgado que mora com eles, o Roman. Puta cara mala, folgado, espacoso. Isso porque nao moro com ele. Imaginem se morasse… A Roberta ainda cogitou essa ideia, tentou me convencer de como relevar a presenca do sujeito, mas eu simplesmente nao quero ter que relevar a presenca de ninguem em minha futura propria casa. Entao nada de Roman. Roman = abacaxi.

Voltei para casa rapidao, soh para trocar de roupa e checar e-mails, e fui para o Hyde Park jogar Frisbee com o pessoal. Foi otimo correr um pouco, fazer algum exercicio, endorfina nas bochechas, e descobrir que algumas pessoas que eu achava meio malas nao o sao na verdade (naturalmente nao estou falando do frances, que foi ao frisbee e continua mais mala que nunca - bebeu mais da metade da minha garrafinha de agua quando ofereci um gole). Findo o frisbee, todo mundo estava esfomeado e sedento. Fomos para um restaurante indiano chamado Chowky, em Piccadilly. Foi uma paulada (£17!), mas comi muito bem.

Nisso o fim de semana passou. Voando. Soh me dei conta de que o dia seguinte seria meu primeiro dia de trabalho quando lembrei que nao tinha comprado o Week Travel Card para ir pro escritorio no dia seguinte. Teria de comprar na segunda-feira, enfrentando uma fila monstruosa.

E o trabalho comecou sem grandes sobressaltos – a fila nem foi taaaao monstruosa. A unica coisa que me fez suar ontem foi minha dificuldade de achar a saida certa do metro (tem 10) que daria em frente ao meu trabalho. Mas cheguei na hora e achei as tarefas facim, facim.

Consegui chegar a algumas definicoes em relacao aa casa, apos longos papos com Ro e Frubinha. Vamos morar as tres numa casa de tres quartos, que custe ateh £100 por semana. Assim que sair alguma coisa, eu e Ro mudamos, Fruba vem depois, mas paga pelo aluguel do quarto vazio. Pronto. Assim fica bem mais facil. Vou afunilar minhas pesquisas.

Noticia ruim recebida no momento em que escrevia esse post e que tirou completamente minha concentracao: a casa que eu ia ver em Willesden Green hoje, com a qual estava toda empolgada porque o preco era bom e a regiao eh show, jah foi alugada. Merda.

Mas a busca continua. Vou ali almocar.

***

Achei meus oculos!

Friday, August 13, 2004

drops

E eu perdi meus oculos escuros, acho. Tuuuudo bem, assim que comprar novos, vou achar.

***

Comprei umas roupas de trabalho numa charity shop. Barato bagarai.

***

Estou atras de um celular usado. Tenho o SIM card, mas preciso do telefone em si. Estou quase conseguindo.

***

De agora em diante andarei com meus remedios na bolsa para poder dormir fora de casa se necessario for.

panela de pressao

Eu nao quero assustar minha familia, mas preciso dizer que vou sair desta casa em breve. O principal motivo eh a mulher do meu tio, que, desde que eu consegui um emprego (que ainda nem comecei, diga-se), todo santo dia me pergunta se eu ja comecei a procurar casa para mim e eu nao sou idiota de nao perceber que eh uma forma de pressao. Claro que meu tio nao sabe disso - tenho certeza de que se soubesse daria um puta esporro nela - mas eh o jeito dela. Ela deve temer que eu simplesmente me acomode e va ficando, o que obviamente nao vai acontecer jah que em pouco mais de um mes a Fruba deve chegar e vamos morar juntas. Mas jah estou quase acostumando. Tanto que da ultima vez que ela me perguntou, eu respondi com outra pergunta, com o olhar puzzled ma non troppo: "por que voce pergunta?" E ela logicamente disse "por nada, soh curiosidade mesmo".

Fora que ela tem TOC. Dos brabos.

Mas nao vou ficar aqui demonizando a mulher. Ela me trata bem e conversamos bastante. Mas tenho certeza de que o grande medo dela eh que eu vai ficando, ficando, ficando indefinidamente. Coitada, ela nao me conhece. Mal sabe que jah estou com a bunda formigando ha tempos e que soh sosseguei e continuei aqui apos telefonemas desesperados do Brasil e uma conversa de gente grande com meu tio -- que insistiu em que eu ficasse ateh final de setembro.

De qualquer maneira, tenho para quem gritar. Qualquer problema vou para a casa do Ricardo, que ja me ofereceu um quarto vazio, ou para a casa do Ernesto, que nao me ofereceu nada mas eu me convido numa boa, ou para a da Emily e do Justin, que disseram ter um quarto vazio e tambem podem me abrigar quando eu quiser, ou, em ultimo caso, tem a Agi, prima do meu pai do outro lado da familia, que tambem ofereceu espaco.

Pelo menos ateh o final do mes fico aqui, imagino. Depois disso, considero abrir o jogo com meu tio + sua mulher, mas o que quero mesmo eh zarpar.

Wednesday, August 11, 2004

mind the doors

Hoje estava fazendo um passeio delicioso de Maida Vale ateh Camdem Town, ao longo do Regent's Canal, quando tocou o celular. Era o David, da Shelter, dizendo que tambem fui aprovada para trabalhar com eles.

Com o coracao na mao (odeio dizer nao para trabalho, quem me conhece sabe que por causa disso ja acumulei varios papeis e acabei quase louca - ou louca mesmo, nao tenho vergonha de falar), com o coracao na mao falei que tinha acabado de aceitar outro trabalho, mas que era um contrato de apenas cerca de oito semanas. Perguntei se, se eu nao fosse renovar depois, poderia voltar a ligar para ele em busca do trabalho na charity. Ele disse que sim e que ficaria mto feliz! Ou seja, se por acaso meu contrato na BMI acabar e nao for renovado, praticamente jah tenho um emprego engatado.

O trabalho na charity seria muito legal. Eu acho. Tem gente que nao chega nem perto desse tipo de trabalho. Eu teria de bater de porta em porta pedindo para participarem da charity, o que significa contribuir semanalmente com qualquer quantia, a ser descontada da conta bancaria. Claro que eh estafante, frustrante e estressante, jah que eu receberia uma media de 30 batidas de porta no nariz a cada alma gentil que aceitar assinar. Mas acho que mesmo assim eu iria gostar. Essa coisa de ter que falar com as pessoas, ouvi-las, sentir diferentes reacoes, acho que seria uma verdadeira escola de antropologia dos londrinos. Alem disso, o salario eh bom -- melhor que o da BMI. Mas sao menos horas de trabalho por semana e no total eu ganharia menos.

De qualquer forma, a decisao estah feita e o celular do David estah gravado no meu celular. Fechei a porta, mas deixei a janela aberta.

Tuesday, August 10, 2004

valeu

A todos os e-mails de parabens pelo novo emprego! Mas o e-mail do meu stepfather foi campeao:

Dear Bia,

UAU!!!!! Parabéns!!!!

Boa sorte no seu primeiro emprego em Inglaterra.

"Corporate Researcher" sounds like a really interesting job.

You might be a corporate spy, infiltrating yourself as an apparently-innocent employee into large corporations, ruthlessly stealing the secret formula for their new ultra high-cholesterol french fries! Executives riding in their Rolls Royces will worry about you, hate you, and fear you, but they will never know who you are or where you might strike next. In fact, I am in great danger just writing you this e-mail.

On the other hand, you may spend eight boring hours per day looking through reference material for words that rhyme with Chevrolet.

Adorei!

A iniciativa da Deia tambem foi legal: ela assinou o boletim diario sobre America Latina e Caribe do Business Monitor International, to keep an eye on me.

Brigadao, babae, pelo e-mail lindo - quase pude ver seus olhinhos marejados -, babai, pelo telefonema quase impulsivo e cheio de orgulho na voz, e a todos que me escreveram soh para dizer, com diferentes palavras, algo como "eu ja sabia".

E, claro, aos que ainda vao escrever porque nao viram meu e-mail ou meu blog a tempo de responder antes deste post ir ao ar.

consegui

Estou empregada. Caralho, CARALHO. Ainda nao caiu a ficha. Estou empregada! Naquele lugar em que foi minha primeira entrevista, em que 150 neguinhos disputavam 8 vagas.

Comeco segunda. Puta merda.

Monday, August 09, 2004

bright Brighton

Foi animal. Depois eu conto.

Vao ver as fotos, vao?

Thursday, August 05, 2004

updates da semana - para quem sente falta de detalhes

Tenho uma noticia boa e uma ruim. Qual voces querem ouvir primeiro?

Entao tah. A boa eh que a entrevista a que fui hoje foi um sucesso. Conversei com os entrevistadores (eram dois) e eles pareceram satisfeitos com as minhas respostas. Depois fiz uma prova que foi moleza. Um pouco de matematica, um pouco de ortografia inglesa, um pouco de conhecimentos gerais e um proofreading em ingles que tambem foi baba.

O problema eh que sao 150 pessoas disputando oito vagas. Entao eh bom eu ficar bem quietinha aqui ateh receber alguma resposta.

Detalhe: quando eu cheguei lah eles falaram: "so... you speak Portuguese, Spanish and Brazilian, is that right?" Acho que consegui nao fazer cara de nao-seja-monga-minha-senhora. Mas foi dificil. Eu respondi: "well, yes, Brazilian Portuguese and some Spanish". Ela ficou vermelha, mesmo minha resposta tendo sido gentil. E deveria ficar vermelha mesmo.

Agora a ma noticia: recebi uma multa e por pouco nao fui presa. Isso mesmo. Fui dar uma de malandra e tentar voltar de trem da entrevista sem pagar. Aih apareceu um fiscal, desses que aparecem a cada ano bissexto, e pediu para ver meu cartao. Claro que eu fiz aquele drama todo, "me Brazilian, anderrrrstandi?", mas nao colou. Ele ateh ficou com pena de mim no final, mas disse que teria de me multar em 10 pounds. Eu abri a carteira e... Nao tinha 10, soh 5. "Agora fodeu", pensei. Ele disse: me dah os 5 e eu te dou uma multa cobrando mais 5, ok? Voce vai ateh o correio e paga.

Que vergonha.

Nunca mais.

Nao me venham com sermoes porque eu aprendi a licao.

***

O banheiro, que estava quebrado, jah estah consertado. Eu estava me sentindo uma indigena. Cinco pessoas dividindo uma unica privada. Sem descarga. E nenhum chuveiro funcionando. Nao sei como foi acontecer, mas a culpa nao foi minha.

De qualquer forma, pude me aliviar dos refluxos matinais na estacao de trem. Ninguem merece.

***

Ontem fui aa Ladies' Pond com a Paige. Eh uma lagoa em que soh entram mulheres e eh toda cercada por arvores. Ninguem de fora consegue ver, teoricamente. Entao jah viu, neh? A mulhegada toda de topless, as mais ousadas de less-tudo. Eu e Paige fizemos topless depois de constatar que seriamos vistas como extraterrestre se nao o fizessemos.

Dei minha nadada na lagoa. Nada que me lembrasse os tempos de treino pesado, mas deu para esticar em uns 1000m.

***

Ainda fico na duvida se entendo realmente o que as pessoas falam. E geralmente entendo, mas o esforco para entender faz com que a situacao fique patetica. Hoje no almoco, por exemplo, eu estava fazendo alongamento e massagem na Jane porque ela tava toda dura de pintar (!!!) a casa. Aih eu puxei o braco dela pra baixo. E ela disse assim: "fica melhor se voce colocar o queixo para baixo, no pescoco". Achei estranho mas lah fui eu, puxando o braco da mulher por tras e metendo o queixo na nuca dela. Bem esquisito. E ela disse, "oh, thanx, mas eu quis dizer que eu deveria por o MEU queixo para baixo para alongar minha nuca. But that was fine anyway. Thank you".

Pelo menos me orgulho de ter preparado o almoco.

***

Acabo de receber outra resposta e semana que vem tenho outra entrevista. Numa charity. Como diria babae, "vai, boba, vamos ver que bicho dah".

Tuesday, August 03, 2004

balanca mas nao cai

Ontem o dia foi uma merda. Eu fechava os olhos e estava no Brasil, abria e estava na Inglaterra. Ontem se me pegassem pelos bracos eu ia.

Nao pus o peh pra fora de casa. Biggles ateh veio me convidar para uma voltinha pelos canteiros mais atraentes da vizinhanca, mas tive de deixa-la na mao (ou nas patas). O sol brilhou incansavel e nem assim foi capaz de me seduzir. Estou determinada a achar um emprego. E quem me conhece sabe o que isso significa. Dedicacao 24-7.

Soh que nao estava sendo muito alentador. Dezenas de curriculos enviados e poucas respostas, todas negativas.

Estava ansiosa. Com medo. Estava sentindo que estava criando a situacao propicia para um ataque. Estava estendendo o capacho para o panico.

Escrevi, escrevi. Meu livro eh um consolo nessas horas. Porque meu livro tem como protagonista um personagem ainda mais angustiado que eu. Entao eu solto minhas quimicas distimicas nele, e por mais que nao me ajude em nada, pelo menos sai um bom trecho de pretensa literatura.

Ontem desanimei.

E hoje tudo mudou. Acordei e o primeiro e-mail que abri era uma chamada para entrevista. Nao que eu vah pegar o emprego, mas pelo menos passei para a "segunda etapa" da selecao.

Hoje tambem recebi e-mails queridos. Encontrei outras queridas no MSN. Estou menos ansiosa. Tenho programa para depois da chuva. marquei com a Biggles de ver uns caes sarados em Gladstone Park. E mais tarde ver um filminho bacana.

Eh isso, minhas obsessoes sao afiadas, mas nao duram muito tempo. Sei quao louca fico se deixo os dias passarem e cabeca fixa em um soh ponto.

Agora passou.

Monday, August 02, 2004

vao la ver

Fotas fotas fotas fotas fotas.

Todo dia novas fotas.

Por enquanto soh da Ilha da Madeira. Mais pra frente vai ter mais.