Monday, September 05, 2011

ainda nao

Ainda nao foi o fim. Sempre soube que uma hora a coceira voltaria, por mais intenso que fosse o mundo corporativo. Nunca deixaria morrer aquilo que nao me deixou morrer.

Apenas deixei adormecido. E pode ser que fique adormecido por mais um tempo. Foda, quando escrever ja nao eh mais a prioridade, embora dia sim dia nao fique aquele gosto ruim na boca de deicar pra tras o que realmente importa.

Seria bom se fosse tudo assim, em que o ponto final nunca eh mesmo final. Evitaria qualquer tipo de saudade por antecipacao. Ficaria apenas a saudade verdadeira e leve, e nao a desesperada.

Um dia eu aprendo a acreditar no que escrevo e terapia nao serah mais necessario.