Monday, May 31, 2004

penúltima semana

Estou sendo altamente mimada pela minha família. Minha irmã comprou dois CDs para eu lembrar dela enquanto estiver lá. Ou enquanto eu não voltar, como ela preferiria dizer. Um da Adriana Calcanhotto e outro da Desiree. Minha mãe falou que vai me dar a famigerada bota de neve, que devo comprar ainda essa semana com com Fruca, né não, Fruquinha?

Aliás, essa semana é bom que eu pare de fazer corpo mole e resolva logo pelo menos a questão dos presentes. Só três, só três! Aí, semana que vem fica livre para desfazer tudo: conta no banco, linha telefônica e Speedy. O celular vou dar para a Lígia, minha empregada. Aliás [PAUSA PARA O MERCHANDISING], já avisando, ela é representante da Natura, então se quiserem produtos gostosos em domicílio é só ligar pro meu celular a partir de 15 de junho e falarão com uma simpática carioca ligeiramente mercenária mas sempre honesta [DESPAUSA].

Daqui a pouco escrevo sobre o bota-fora. Muitos engraçadinhos já vieram me perguntar quando será o bota-dentro. Assim, estou saindo essa semana para adquirir a bota, aí só fica faltando vocês de quatro.;-)
check list atualizada

* Transferir conta do UOL para o cartão de babãe;

* Deixar de besteira e resolver logo a situação com o banco;

* Comprar a camiseta do Ronaldo para o Owen;

* Comprar as Havaianas da Hilary;

* Comprar um *regalito* para Jane;

* Comprar um *regalito* para Roland;

* Comprar minha bota de neve;

* Resolver o perrengue do bota-fora;

* Cobrar meus CDs que estão com o Cadu há muuuuito tempo e sem os quais não vivo;

* Devolver as coisas dos outros há muuuuito tempo comigo; [Se eu preciso te devolver alguma coisa, fale agora ou cale-se para sempre]

* Limpar o computador;

* Tirar xerox do passaporte;

* Cancelar assinatura do Speedy e da linha telefônica.

Saturday, May 22, 2004

there's a party in my head

É claro que há muito mais acontecendo. Apareceu viagem, apareceu trabalho, apareceu um monte de coisas, mas não quero falar de nada antes de acontecer de fato.

De qualquer forma, estou muito feliz. É óbvio que aconteceram coisas nos últimos tempos que me deixaram meio hesitante, mas em momento algum pensei em deixar de ir. Apenas, como disse antes, lamentei que essas coisas boas só acontecessem agora.

E, de repente, essas mesmas coisas só aconteceram porque estou indo embora. Porque do jeito que sou, é capaz que, se não houvesse o desafio da minha partida, eu não me deixasse envolver.

Mas não adianta pensar nisso agora. Estou feliz com todo o turbilhão, apesar da vertigem que ele causa. E quero que continue assim, para fazer passar mais rápido esses últimos dias. Quando fico quieta, sem alguém para me entreter, logo começo a pensar e repensar no que vai e no que fica, e isso pode fazer muito bem para muita gente, mas para mim, tendo a cabeça que tenho, não.
check list

* Transferir conta do UOL para o cartão de babãe;

* Deixar de besteira e resolver logo a situação com o banco;

* Comprar a camiseta do Ronaldo para o Owen;

* Comprar as Havaianas da Hilary;

* Comprar um *regalito* para Jane;

* Comprar um *regalito* para Roland;

* Comprar minha bota de neve;

* Resolver o perrengue do bota-fora;

* Cobrar meus CDs que estão com o Cadu há muuuuito tempo e sem os quais não vivo;

* Devolver as coisas dos outros há muuuuito tempo comigo;

* Limpar o computador;

* Tirar xerox do passaporte;

* Cancelar assinatura do Speedy e da linha telefônica.

... Devo estar esquecendo um batalhão de coisas.

Monday, May 17, 2004

desabafo

Algumas coisas já estão ficando com gosto de últimas. Outras, incrivelmente a menos de um mês da viagem, parecem estar começando - e terão, inevitavelmente, creio eu, uma morte prematura.

Engraçado -- me dêem licença para filosofar -- que realmente o carrossel não pára. Eu achava que daqui até o final, até a partida, até o recomeço, eu achava que até lá as coisas só iriam acabar. Tudo seria derradeiro. Todos os espetáculos seriam os últimos, todas as pessoas só seriam despedidas, e não encontros. Incrível como a vida acontece sem que se tenha pleno poder sobre ela (ou vai ver se tem, mas num plano sobre o qual nem temos controle). As pessoas não param de aparecer e desaparecer do seu mundo. E parece que isso tudo às vezes quer deixar uma única mensagem: aonde quer que você vá ou fique, as coisas vão acontecer de qualquer forma. E isso é doce, apesar de que a vontade é de que as coisas só aconteçam mesmo no lugar que você escolheu para elas acontecerem. Será que vocês estão me acompanhando?

Se a vida fosse sempre uma grande despedida, eu poderia até viver com um coração meio machucado, mas poderia encher a boca para dizer que sou, finalmente e plenamente, uma pessoa feliz.

Monday, May 10, 2004

preview

Dêem uma olhada nisso.

Aiai.
regalitos

Agora vou atrás de uma camisa do Ronaldo para o caçula, Owen. Onde vende mais barato, hein?! Alguém sabe?

Minha irmã sugeriu uma falsificada, porque seria bem mais a cara do Brasil. Nem respondi.
desastre

Que legal. Tive o dom de deletar a lista das pessoas para o bota-fora. Vamos começar tuuuudo de novo.

Sunday, May 09, 2004

say goodbye

O lugar do bota-fora está quase decidido. Provavelmente será numa casa na Vila Madalena, muito legal, diferente e, creio, a minha cara. Chama Vintage. Fui lá ontem com a Fê, para conhecer, e curti. Acho que todos vão adorar. E deverá sair em torno de $20 de consumação. Não é muito, né?

Então façavor de me dizer se vai porque estou montando a lista. E pode levar quem quiser, desde que me avise para eu pôr o nome. Reservem o dia 5 de junho, então, hein?!

***

Vou copiar a idéia da irmã da Cá, que, quando foi para a Nova Zelândia, levou uma bandeira do Brasil com recado de todos os amigos. Então, quem for na festa vai me deixar um bilhetinho para eu ler e rir e chorar e rir e chorar e reler láááá longe.

Friday, May 07, 2004

way to go!

Quarta-feira passada falei com meu primo pelo telefone pela primeira vez. Foi estranho mas muito legal. Estranho porque a ligação tava meio lenta, tinha aqueles delays lamentáveis que provocam gaps de silêncio para em seguida falar-se tudo ao mesmo tempo. Mas eu sabia que seria assim. Foi muito fofucho da parte dele querer me ligar, nem que seja para não falar nada demais.

Quer dizer, nada demais, não.

Ele disse que tentaria arranjar um summer job para mim no London Times.

*Só* isso.

Claro, disse para eu não criar esperanças, que não seria fácil e tal. É *óbvio* que eu criei esperanças, néam? Mas não precisam se preocupar. Não tenho o menor pudor ou temor de arremessar meu currículo ao mundo. O máximo que pode acontecer é ele voltar como um bumerangue. E nem vai me machucar: meu CV não é tão pesado assim.

***

Afora o lance do Times, ele disse que há alternativas, como o clube de tênis em que um de seus filhos, o Roland, trabalhou, e o chiquetérrimo Selfridge's, onde eu poderia trabalhar na alta estação, julho/agosto.

Tudo a ser estudado. E muito, muito agradecido.

***

Frubinha e eu estamos uma pilha. Ela também mal se contém, e olha que só deve ir para Old England em setembro/outubro. De qualquer forma, até lá quero ver se já vou estar no meu cantinho, que mais adiante será dividido com Frubinha. A gente sempre quis morar junto. Já fizemos milhares de planos e tudo mais, que foram só planos mesmo. Nunca imaginaríamos que quando finalmente fôssemos viver juntas, seria em outro país.

***

Tarefas cumpridas hoje: versão do meu CV para o inglês e compra do presente do John - um livro de fotografias de São Paulo.

Monday, May 03, 2004

demorou

Ah, sim, claro, aquele post insignificante cujo conteúdo era simplesmente "alô" era, de fato, insignificante, ao contrário dos comentários. Às 10 pessoas que comentaram: DESCULPA! Fiz merda! Não sei como, mas consegui fazer o post sumir. Bom, agora já foi. Nem vou reclamar. Eu, que já estou acostumada a perder posts quilométricos.

Mas li todas as mensagens. Vocês são foda. Valeu. Mesmo.
personagens

Acabo de descobrir que junto comigo estarão hospedados na casa de meu primo mais uma penca de gente. Paige, namorada do Roland. Um casal de Blandys australianos. Hugh, sobrinho de Jane. Fora o usual. John, Jane, Roland, Owen. E Biggles.

Vão se acostumando: John é meu primo. Na verdade, primo do meu pai. Jane é sua mulher. Eles têm três filhos, Hilary, Roland e Owen. Hilary mora em Cambridge, onde se formou. E Biggles, a cadela. Familiarizem-se. São novos personagens que farão parte do dia-a-dia deste blog. Spoooooooky.

Chegar a Londres estabanada, fóbica social que sou, e enfrentar uma full house não é das situações que mais me encantam, mas sem dúvida vai ser essencial, inclusive para sair daquele buraquinho, muitas vezes escuro, muitas vezes frio, que atende pelo nome de eu mesma.

Abaixo trechos do e-mail do John.

"Anyway, I hope you will keep a diary of your visit. I intend that we shall both make our fortunes and our reputations. You will write a weekly column for some publication back in S. Paulo. Perhaps it will be in "Martian" style. You know, a Martian arrives on Earth and tries to explain his experiences to the follks back home. Or perhaps just a satirical view of the English, making funny caricatures of the Blandys for instance. Anyway it will be immensely good and successful and Brazilian publishers will be queuing up to turn it into a book. I shall also be keeping a diary - based perhaps on your initial perceptions as we travel through the various levels of society from the gutters to the extremely beau monde. I shall offer these little accounts to a publication like the London Spectator. Then serialisation, books, TV, movie rights etc

Well, we are also anxious about your visit. Perhaps you will find it all a bit flat. A bit small. A bit unexciting. Perhaps we are just too cold and we promise more than we deliver.

But we are making a big effort to prepare ourselves. Owen is studying the video of Cidade de Deus as part of his studies of South American development and will shortly be looking at Carandiru the film for an understanding of S Paulo. He also wonders if it is still cool to worship Ronaldo. Jane is thinking of taking up capoeira and wants to spend a weekend in Daslu. Roland wants to know the difference between a Rio and S Paul funkeiro. I was going to see the film As Tres Marias but it closed after a day when no one turned up at the cinema, so I have decided to tackle Machado de Asis. Biggles wants to meet a Fox Paulistinha for friendship and walks in the park. Hilary wants to know if the Banco Central de Brasil wants to borrow money at a good rate.

Buy that diary now! And don't bother to answer this. I'm sure you have better things to do"


Para vocês verem que realmente tirei a sorte grande.